Bolsonaro anuncia que vai vetar o fundão mas há conversas para manter boa parte da grana

Há movimentos para que o prefeito David Almeida seja candidato ao governo em 2022

Biblioteca com 32 mil livros abre as portas em Manaus

Marcelo Ramos desconfia de ter sido usado por Bolsonaro

Estudo da PUC coloca uma lupa sobre a Zona Franca e suas modificações ao longo dos anos

Justiça bloqueia bens do empresário Roberto Tadros por improbidade

Mutirão de vacinação em Manaus começa hoje para a faixa de 18 anos

Conversa de bastidores para acertar o Fundão

O presidente Bolsonaro garantiu que vai vetar o aumento do fundão eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões aprovado no Congresso com o voto favorável da maioria dos parlamentares governistas, inclusive com os dois filhos do presidente, Eduardo e Flávio Bolsonaro. Mas, para não desagradar aliados, governo e o Centrão discutem nos bastidores fixar o valor em R$ 4 bilhões e criar o argumento de que Bolsonaro conseguiu diminuir o total em quase R$ 2 bilhões.

Marcelo Ramos desconfia de Bolsonaro

O deputado federal e vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), já acredita que foi vítima de uma armação do governo. “Eu começo a pensar se o governo já não fez isso de caso pensado: ‘vamos aprovar R$ 5,7 bi, a gente crucifica alguém, e depois a gente empurra R$ 4 bi e vai parecer que está tudo bem‘.” disse Marcelo, que foi acusado por Bolsonaro de ser o responsável pelo aumento de 185% do fundão.

Divisão do bolo

Cálculos dos especialistas da CNN Brasil, indicam que, se não for vetado, os partidos que mais ganharão com o novo fundão serão o PT, PSL, MDB, PP e PSD, com valores acima de 400 milhões de reais. Os partidos nanicos, mesmo sem representação no Congresso, ainda vão faturar R$ 3,5 milhões.

Informações manipuladas

Nas redes sociais começou a circular postagem dizendo que os deputados amazonenses Capitão Alberto Neto (Republicanos) e Sidney Leite (PSD) votaram contra o aumento do fundo eleitoral e que José Ricardo (PT) votou a favor. Na verdade, Alberto Neto e Sidney Leite estavam ausentes no momento da votação e José Ricardo foi o único deputado do Amazonas a votar contra o fundão. Marcelo Ramos não votou por estar presidindo a sessão.

O dilema de David Almeida

Nos bastidores cresce o burburinho de que o prefeito David Almeida pensa em renunciar ao mandato para concorrer ao governo em 2022. David vem sendo estimulado a alçar voo mais alto por amigos e secretários da Prefeitura. Outro grupo aconselha o prefeito a ficar no cargo, alegando que David é jovem e pode adiar a disputa para o Governo para 2026.

32 mil livros para quem gosta de ler

A Biblioteca pública João Bosco Evangelista, localizada na Praça do Congresso, bem no Centro de Manaus, foi entregue pela Prefeitura Municipal de Manaus com um acervo de 32 mil obras. Além dos livros, quem for ao local, pode acompanhar uma exposição dos pintores amazonenses Moacir Andrade, Jair Jacqmont, Monik Ventilari e Ericky Nkanume. Funciona das 9h às 17h.

Bens de Tadros são bloqueados

A Justiça atendeu pedido do Ministério Público do Amazonas (MPAM) e bloqueou os bens do empresário do comércio, José Roberto Tadros, atual presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Tadros é acusado de improbidade, por ter, em 2015, quando presidia o SESC/AM alugado um prédio de propriedade de sua empresa, Tropical Comércio de Derivados de Petróleo Ltda, para o próprio Sesc e ainda fazer reformas no mesmo com o dinheiro da entidade. O valor do processo está em R$ 7,29 milhões.

Vacinação para os jovens de 18

A Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado começam hoje a vacinação para o público de 18 anos. A capital retoma a vacinação de primeira dose, interrompida na semana passada, quando se esgotaram os imunizantes.

Estudo sobre a ZFM

Cientistas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) lançaram um estudo detalhado sobre o que consideram os possíveis e necessários rumos para a Zona Franca de Manaus. Coordenado pela economista Amanda Schutze, com participação de Rhayana Holz e Juliano Assunção, o estudo “Aprimorando a Zona Franca de Manaus: lições da experiência internacional”, propõe a aproximação das indústrias da floresta, como alternativa para crescimento em dez anos ou mais. Em 54 páginas, o texto avalia as transformações que descaracterizaram a finalidade original do modelo e propõe caminhos. O documento pode ser acessado no link:
https://www.climatepolicyinitiative.org/wp-content/uploads/2021/05/AMZ2030-Aprimorando-a-Zona-Franca-de-Manaus.pdf

Fonte: Portal Único

Qual sua opinião?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email
Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email